Núcleo de Controle de Pragas da ACIM esclarece informações sobre combate ao escorpião

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o número de acidentes com escorpiões aumentou 30% no Paraná de 2016 para 2017. Ao longo destes dois anos, quatro crianças que foram picadas vieram a óbito. Em 2018 foram registrados mais de 330 casos e uma morte em janeiro na região de Cascavel.

Diante dos números, o Núcleo Setorial de Controle de Pragas Urbanas da ACIM, que é formado por profissionais da área, esclarece que além das medidas preventivas como a limpeza de quintais, existe o controle químico para combater o animal.

De acordo com Aline Galvão Duarte, que é membro do núcleo, estão disponíveis no mercado produtos químicos que apresentam resultados efetivos. “São produtos devidamente regulamentados pelos órgãos competentes como o Ministério da Saúde e a Anvisa, que se aplicados da forma correta, garantem o extermínio dos escorpiões”, diz.

Ainda de acordo com Aline, não é recomendado que a população tente fazer a aplicação de produtos dessa natureza por conta própria. “É fundamental que esse trabalho seja feito por uma empresa especializada que sabe exatamente qual produto usar, assim como a dosagem adequada e a forma correta de aplicação, afinal, o uso de substâncias inadequadas pode inclusive agravar o problema, fazendo com que os escorpiões deixem seu habitat e fiquem mais agressivos, o que pode aumentar o número de acidentes”, explica.