Crianças de Ibiporã acampam no museu para aprender sobre o café

 Cerca de 60 alunos da Escola Municipal Nelson Sperandio, de Ibiporã/PR, vão acampar no gramado do Museu do Café nesta sexta-feira (13), em mais uma ação do Programa A União Faz a Vida (PUFV), da Sicredi União PR/SP. Para a expedição investigativa, chamada de “Uma Noite no Museu”, os estudantes serão divididos em dois grupos: um deles vai percorrer o museu munido de lanternas e curiosidade; enquanto o outro ficará do lado de fora envolvido em brincadeiras, conto de histórias e “causos” da cidade com monitores da Secretaria de Cultura.

Antes de dormir, todos participarão de uma ceia. Na manhã seguinte, na escola, depois do café da manhã, a tarefa dos alunos será responder à pergunta exploratória “o que você aprendeu em uma noite no museu?”

         A visita noturna ao museu tem a missão de ensinar a história do município para os alunos – que necessariamente aborda a colonização por meio da cafeicultura -, e foi proposta pelas professoras para tornar a experiência mais interessante e atrativa. A atividade será acompanhada por uma equipe formada por cerca de dez pessoas, entre professoras, representantes das secretarias de Educação e Cultura e assessora pedagógica.

Programa

O PUFV nasceu há 21 anos no Sistema Sicredi e propõe metodologia educacional de estímulo ao interesse pelo conhecimento, tornando os alunos protagonistas do processo de aprendizagem. Na área de abrangência da Sicredi União PR/SP, o Programa foi implantado há dez anos e apresenta resultados positivos, já que as mais de 160 escolas participantes, distribuídas em 29 municípios e três distritos, apresentaram melhora significativa no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), com crescimento médio de 30%, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Para se ter ideia, somente a Sicredi União PR/SP, no ano passado, teve 2.257 educadores que participaram de 770 assessorias e oficinas de capacitação para atender mais de 23 mil crianças e adolescentes de escolas públicas, por meio de 775 projetos. Ao final do ano letivo também foram realizados 79 eventos de culminância, em que os alunos apresentaram os resultados do aprendizado.