Violência na Primeira Infância: o que é e como combater

Em outubro é celebrada no Brasil a Semana Nacional de Prevenção da Violência na Primeira Infância. De 12 a 18 de outubro diversas ações são realizadas pelo país para conscientização sobre as formas de violência sofridas por crianças de até seis anos, período a que corresponde à primeira infância.

De acordo com a assistente social da Unimed Maringá, Marines Godoy Lima, nos primeiros seis anos, a vida das crianças é marcada por intensos processos de desenvolvimento. “É uma fase determinante para a capacidade cognitiva e sociabilidade em que as crianças precisam de oportunidades e estímulos, para que possam desenvolver aptidões”, diz.

Na contramão de um ambiente que propicie um desenvolvimento saudável, a violência contra a criança é uma questão social e um problema de saúde pública, especificamente, a violência intrafamiliar, que se refere às formas de abuso que acontecem entre os membros de uma família, com ou sem laços de consanguinidade. A violência pode se dar por meio da negligência e agressões físicas, psicológicas e/ou sexuais.

Segundo a assistente social, os indícios mais frequentes de que uma criança está sendo vítima de violência são alterações no comportamento. “Falta de motivação, isolamento, ansiedade, comportamento agressivo, depressão, baixo desempenho e evasão escolar são alguns sinais de que a criança precisa de atenção e cuidado”, diz.

Os reflexos dos atos de violência podem surgir como danos imediatos como pesadelos repetitivos, raiva, culpa, vergonha, medo do agressor e de pessoa do mesmo sexo, quadros de fobia-ansiedade e depressivos agudos, queixas psicossomáticas, sentimentos de estigmatização, entre outros.

Como denunciar

O Disque 100 é um serviço de proteção a crianças e adolescentes que funciona diariamente das 8 às 22 horas, inclusive nos fins de semana e feriados. As denúncias são analisadas e encaminhadas aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização, de acordo com a competência e as atribuições, priorizando o Conselho Tutelar. As denúncias, que são mantidas em sigilo, podem ser feitas por:

• Discagem direta e gratuita ao número 100
• Envio de mensagem para o e-mail disquedireitoshumanos@sdh.gov.br
• Crimes na internet através do portal www.disque100.gov.br
• Ouvidoria Online Clique 100:

http://www.humanizaredes.gov.br/ouvidoria-online/
• Ligação internacional – através do número +55 61 3212.8400