O ano de 2019 chega com a perspectiva de um cenário promissor para o setor da construção civil. Depois de um período de recessão causado pela crise econômica que afetou o Brasil, o mercado imobiliário deu sinais de recuperação em 2018 e projeta de forma expressiva a retomada de vendas e lançamentos para o ano que vem.
“Otimismo, confiança e responsabilidade são as palavras para 2019”, resume o presidente do Sinduscon-PR/Noroeste, Marcos Mauro Pena Filho, prevendo a retomada de investimentos da construção civil e da intenção de compra por parte de investidores. “Passado o momento de incertezas do período eleitoral, vivemos agora um período de variação positiva de confiança e estabilidade de empregos que levam as pessoas a voltarem a fazer investimentos”.
“Estamos otimistas. É a melhor definição. O mercado está receptivo e não pode haver motivação maior”, comemora Moacir Júnior, diretor da Morena Empreendimentos, de Umuarama, compartilhando a opinião do presidente do Sinduscon ao ser questionado sobre os rumos da construção civil nos próximos meses.
Leandro Cesar Cunha, gestor Regional de Obras da MRV Engenharia, compartilha o otimismo. “O ambiente está otimista quanto à recuperação da economia, deve aumentar o número de brasileiros buscando realizar o sonho da casa própria. Essa maior procura e os bons resultados em 2018 nos estimulam a continuar investindo para realizar esses sonhos e gerar empregos”.
O diretor da WEGG-CCII Construtora e Loteadora, Douglas Guiomar, endossa o coro, porém com ressalvas. “Existe um otimismo que não víamos há anos. Se tivermos crescimento da renda da população com inflação controlada, certamente o setor da construção civil terá forte crescimento. Esperamos que no primeiro semestre de 2019 tenhamos um cenário melhor definido. O que não pode ocorrer é aumento da carga tributária, em vez de economia nas contas públicas. Mais impostos ele variam os custos de construção, o que inviabilizaria uma boa fatia de projetos”.
As três construtoras preparam lançamentos de empreendimentos. A Morena Empreendimentos fará três lançamentos já no início do ano. No caso da MRV Engenharia, serão quatro novos projetos só em Maringá. No Paraná, a expectativa é lançar mais de 5 mil novas unidades habitacionais, distribuídas em 16 empreendimentos em sete cidades.
“Essas unidades têm potencial para fornecer moradia para cerca de 16 mil pessoas e gerar mais de dois mil empregos diretos e indiretos no estado”, destaca Cunha. “Acreditamos que em 2019 a busca dos paranaenses pela primeira moradia deve impulsionar crescimento ainda maior, contribuindo para a redução do deficit habitacional do país.”
A WEGG prepara o lançamento de duas obras de edificação residencial em Maringá, na modalidade de preço fechado e dois loteamentos, sendo um em Campo Mourão e outro em Ponta Grossa.
“São empreendimentos populares com faixa de preço entre R$ 50 mil e R$ 80 mil o terreno. Já as edificações em Maringá têm preço entre R$ 160 mil e R$ 187 mil. Já no médio padrão, a faixa de preços é de R$ 400 mil, com 77metros quadrados privativos, duas vagas de garagem, área comum equipada e decorada, com academia, salão de festas, piscinas, entre outras”, cita Guiomar.

Balanço de 2018
Embora as expectativas sejam melhores para 2019, há o que se comemorar em 2018. No ano passado a Morena Empreendimentos ousou com os projetos do Montpellier Residence e do Interlagos Residencial Clube. De acordo com Moacir Júnior, o primeiro superou 70% das unidades vendidas. Ele atribui o sucesso de vendas à localização privilegiada (próximo ao Shopping Palladium), à proposta arrojada com foco na área de lazer e espaços de vivência, tecnologia empregada e, especialmente, às opções de pagamento facilitado, com financiamento direto na construtora, em até 50 parcelas.
Na MRV Engenharia o balanço também é positivo. “No terceiro trimestre de 2108 tivemos um volume consistente de unidades lançadas, com aumento de 20% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, até setembro, a MRV vendeu 30.508 unidades, aumento de 6,3% em relação ao mês mo período de 2017”, comemora Cunha.
Em 2018, a MRV Engenharia ultrapassou a marca de 400 mil unidades lançadas em 39 anos de atuação. O número de unidades é um recorde entre as construtoras da América Latina. Nos últimos 12 meses a empresa lançou mais de 42 mil novas unidades. No Paraná foram investidos R$ 550 milhões no lançamento de cerca de 5,5 mil unidades habitacionais. “No ano de 2018 fomos influenciados pelo fator política da atual gestão, pelas incertezas das eleições e pela greve dos caminhoneiros. Apesar de todos esses fatores contrários, o mercado apresentou expansão. Se considerados os obstáculos que tivemos, temos muito a comemorar o crescimento pequeno, porém gradual do setor”, diz Pena Filho.
Já a WEGG conseguiu reduzir consideravelmente o estoque ao longo do ano restando, segundo cálculos do seu diretor, cerca de 25% dos terrenos e apartamentos lançados em 2018. “Tivemos a metade do volume de lançamentos que projetamos para 2019, ou seja, um loteamento e um prédio médio padrão”.