Mal de Alzheimer é uma das doenças abordadas no calendário da saúde

Conhecido como Fevereiro Roxo, o mês é de conscientização sobre o diagnóstico precoce e o tratamento adequado de três doenças sem cura e que acometem cerca de 6,5 milhões de brasileiros: lúpus, fibromialgia e mal de Alzheimer.
Só o mal de Alzheimer atinge 1,2 milhão de pessoas no país, e o número deve aumentar à medida que a população for envelhecendo, alerta o neurologista Flávio Taira, cooperado da Unimed Maringá.
A doença se caracteriza por um acúmulo anormal e excessivo de um tipo de proteína em áreas específicas do cérebro levando à morte de neurônios. “Apesar de a medicina ter avançado no conhecimento sobre a doença, ainda não se sabe exatamente porque essas proteínas se acumulam”, diz. Os primeiros sintomas estão diretamente relacionados à memória imediata e causam dificuldade para lembrar de informações recentes, mas normalmente as memórias antigas são preservadas.
Com o avanço da enfermidade, a memória fica mais prejudicada e outras funções relacionadas ao raciocínio e a aprendizagem também são comprometidas, como a capacidade de atenção, cálculo, vocabulário e até a coordenação motora, o que gera dificuldade na realização de determinados movimentos. Por isso, o médico orienta que nessa fase o apoio e cuidado da família sejam redobrados. “A compreensão e paciência dos familiares e cuidadores são imprescindíveis para que o paciente tenha qualidade de vida, afinal, num estágio avançado da doença, a pessoa vai precisar de ajuda para ingerir remédios, se alimentar e se locomover”.
De acordo com o neurologista, o principal fator de risco é a idade, ou seja, quanto mais idoso, maior o risco de desenvolver a doença. “Por enquanto a medicina não dispõe de medicações que impeçam a doença, o que torna o Alzheimer crônico e progressivo. Porém, existem remédios, disponíveis inclusive na rede pública de saúde, que podem ajudar a diminuir os sintomas cognitivos principalmente nas fases iniciais”, explica.

Lúpus e fibromialgia
Já os lúpus é uma doença autoimune, ou seja, acontece quando o sistema imunológico ataca órgãos e tecidos, como a pele e articulações. Entre os sintomas estão fadiga, dor muscular, vermelhidão na face em forma de borboleta, ferida na boca e queda dos cabelos.
A fibromialgia é caracterizada por dores em todo o corpo por longos períodos, com sensibilidade nas articulações, músculos, tendões e em outros tecidos moles.