No Dia Mundial do Rim, médico da dicas de sintomas e tratamentos

Celebrado na segunda quinta-feira de março, que neste ano cai no dia 14, o Dia Mundial do Rim é um alerta para a importância da adoção da prevenção e tratamento precoce de doenças desse órgão tão importante. Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, há 850 milhões de pessoas com doença renal no mundo, e somente a doença renal crônica causa pelo menos 2,4 milhões de mortes por ano.
De acordo com o nefrologista Guido Luis Gomes Otto, da Unimed Maringá, a doença crônica renal é uma patologia preocupante por provocar a destruição lenta e progressiva do órgão. “Os sintomas são sutis, como inchaço nos pés, pernas e/ou rosto, cansaço, anemia, pressão alta e urina com espuma ou escura. Por isso, é importante que a popula&c cedil;ão fique atenta para esses sintomas”, frisa Otto.
O especialista explica que os rins são responsáveis por controlar a eliminação de líquidos e resíduos do sangue, além de produzir hormônios que podem interferir na pressão arterial e produção de glóbulos vermelhos. “As principais doenças que causam a Doença Renal Crônica são diabetes, hipertensão arterial (pressão alta) e aquelas próprias dos rins, principalmente as nefrites que são na maioria dos casos autoimunes”, enfatiza Otto.
Há ainda doenças renais causadas por má formação, heranças hereditárias, infecções do trato urinário, entre outras. De modo geral, o nefrologista diz que as disfunções renais provocam o aumento da ureia e da creatinina no sangue e, por isso, o diagnóstico pode ser feito por meio de exame laboratorial. Já o exame de urina detecta, em especial, a perda de proteína, sinalizada pela presença de espuma.
Para evitar doenças renais, Otto ressalta a importância de adotar estilo de vida saudável com ingestão de bastante água potável, além de reduzir a quantidade de sal na alimentação, evitar excesso de proteína (principalmente para quem faz uso de suplementos) e sobrepeso. Dieta balanceada e prática regular de exercícios físicos também são recomendados.
O nefrologista destaca que doenças renais têm tratamento e exigem dieta restritiva e específica para cada caso. Quem já teve ou tem patologias renais, diabetes, hipertensão ou algum familiar com doença renal, precisa realizar exames periódicos para monitorar as funções dos rins.