ACIM defende retomada gradual e imediata das atividades

ACIM defende retomada gradual e imediata das atividades

Em documento entregue na semana passada ao prefeito Ulisses Maia, a Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM) propôs um cronograma de retorno das atividades empresariais. Segundo o documento, feito em parceria com especialistas da saúde e representantes de entidades de diversos segmentos, algumas atividades deveriam ser retomadas ainda na última segunda-feira, o que só foi atendido em parte. Nesta quarta-feira, às 17 horas, os empresários se reúnem novamente com o prefeito para discutir a retomada gradual e imediata das atividades.

Segundo o cronograma proposto, nesta semana deveriam ser retomadas as atividades da indústria em geral, obras da construção civil, instituições financeiras e de crédito, serviços de retirada e entrega de restaurantes, empresas de jardinagem, entulhos e reciclagem, empresas com atividade de comércio eletrônico, lojas de venda de alimentação, produtos higiênicos e farmacêuticos para animais e fornecedores de insumos para a saúde. No documento, constavam ainda algumas atividades que foram liberadas por decreto municipal ou por liminar, como clínicas médicas e odontológicas, oficinas mecânicas, depósito de material de construção e lojas de conveniência.

O documento prevê ainda a abertura de outras atividades comerciais, como comércio varejista e atacadista, prestadores de serviços e salões de beleza, dentro dos próximos dias, de acordo com os indicadores de saúde e seguindo cronograma dividido por etapa.

Há ainda a recomendação para que as empresas intensifiquem as ações de limpeza, disponibilizem álcool em gel para clientes e funcionários, divulguem informações sobre a Covid-19, adotem medidas para evitar aglomeração, mantenham equipes em home office (quando possível), entre outras. A proposta traz também protocolos de alerta da saúde e segurança, com sugestão de medidas para cada estágio. Foi sugerida ainda a composição de uma governança com a missão de avaliar os indicadores na cidade, com representantes da rede hospitalar, setor público e setor produtivo.