Construtoras vão além das recomendações oficiais para proteger trabalhadores

Construtoras vão além das recomendações oficiais para proteger trabalhadores
Construtoras vão além das recomendações oficiais para proteger trabalhadores

Desde segunda-feira, dia 13, a construção civil pode retomar as atividades nos canteiros de obras, mas, para isso, precisou se adequar a uma série de exigências para prevenir os trabalhadores do novo coronavírus, como fornecer álcool gel e manter trabalhadores do grupo risco afastados do local de trabalho.
Em alguns canteiros, a preocupação em garantir um ambiente seguro aos trabalhadores que retomaram as atividades fez com que construtoras adotassem medidas extras de segurança, que vão além das recomendadas pelas autoridades.
Nas quatro obras da A.Yoshii, por exemplo, os operários estão passando por aferição de temperatura antes de entrar nos canteiros. “Quem estiver com temperatura maior que 37,5º, encaminhamos para uma Unidade de Saúde”, afirma o gerente da unidade de Maringá, Márcio Capristo. Além disso, a limpeza de equipamentos, banheiros e refeitórios foi intensificada. “Outra medida que adotamos é oferecer um recipiente para fazer a higienização dos calçados”, diz.
Já na MRV os trabalhadores participaram de palestras sobre condutas de prevenção e ganharam kits com álcool gel, máscara de tecido e cartilha de orientações. A empresa também tem cumprido à risca o decreto municipal. “Os trabalhadores foram divididos em três horários de entrada e três horários de almoço para evitar aglomerações”, explica o gestor de obras do Norte do Paraná, Leandro Cunha.
Outra reforço vem do Seconci, que disponibilizou três equipes de técnicos de seguranças, visitando as obras e assessorando no atendimento das medidas de segurança.