Farmácias de manipulação aprendem a aumentar presença digital

Farmácias de manipulação aprendem a aumentar presença digital
Farmácias de manipulação aprendem a aumentar presença digital

Um grupo de empresários de 11 farmácias de manipulação de Maringá participou de um projeto para iniciar ou acelerar as vendas pela internet. É o UP Digital, uma jornada online do Sebrae nacional, de dez dias, com três encontros virtuais, voltados para pequenos grupos fechados. Durante o projeto os empresários têm acesso a apresentação de especialistas em tecnologias digitais, mentorias e compartilhamento de práticas para impulsionar o negócio no mundo digital, tudo de forma prática.
O grupo maringaense faz parte do Núcleo de Farmácias de Manipulação, do programa Empreender, da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM), e participou do projeto-piloto no Paraná. O UP Digital aconteceu entre 30 de junho e 9 de julho e foi aprovado pelos participantes, que já estão colocando os aprendizados em prática. É o caso da diretora da Manipulação Farmácia São Paulo, Marilene Antônio, que conta com uma agência de marketing digital, mas aproveitou o curso para validar o trabalho, mudar estratégias e implantar novidades.
Entre as mudanças adotadas pela empresa está o e-commerce, que estava em desenvolvimento e cuja plataforma foi alterada por sugestão do curso. Marilene também vai adotar fotos autorais, em vez de banco de imagens. “Fizemos um teste e colocamos foto do mesmo assunto usando banco de imagem e outra de nosso produto, e houve muito mais engajamento na imagem autoral”, comenta. A empresa melhorou ainda os textos da bio e pretende fazer vídeos para o Youtube e IGTV. “Foi um curso bastante produtivo, com conhecimento técnico importante de canais digitais”, afirma.
A participação dos empresários no projeto foi subsidiada pela Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) com recursos do Al-Invest, programa de cooperação econômica da União Europeia que tem como foco apoiar o desenvolvimento empresarial, reduzindo a pobreza por meio do aprimoramento da produtividade das micro, pequenas e médias empresas.