Gestão de resíduo reduz até 50% dos custos com destinação

Gestão de resíduo reduz até 50% dos custos com destinação
Gestão de resíduo reduz até 50% dos custos com destinação

Legislações municipais determinam que grandes geradores de resíduos, como restaurantes, hotéis e shoppings, sejam responsáveis pela coleta e destinação. Em Maringá, conforme o decreto 1.749/2017, quem produz mais de 50 quilos ou cem litros de ‘lixo’ por dia fica responsável pela destinação. Mas se feita de forma correta, a gestão pode não apenas reduzir em até 50% os custos, mas contribui com a sustentabilidade e a boa imagem da empresa perante clientes, colaboradores e fornecedores, principalmente em tempos em que a criatividade passa ser o diferencial.
Para isso, é necessário um trabalho que envolve toda a equipe, disposição de lixeiras específicas para cada tipo de material, criação de indicadores mensais e fiscalizadores internos. “Para que todos os colaboradores se envolvam na separação, destinação correta e na redução de custos, fazemos treinamentos, palestras e auditorias”, conta o CEO da Ecoalternativa, Wagner Severiano. A empresa é especializada na gestão de resíduos e criou um método registrado no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), o Método Selo Verde. “Adotando novas ações, é possível reduzir de 10 a 50% os custos com a coleta e destinação de resíduos, e a empresa ainda agrega valor aos materiais recicláveis”, comenta.
Com escritórios em Maringá e Londrina, a Ecoalternativa tem mais de 400 clientes ativos, como hotéis, restaurantes e shoppings. O trabalho tem como maior meta a educação ambiental em grande escala, por isso, é imprescindível o envolvimento de toda a equipe. Conscientizados, os colaboradores depositarão cada tipo de resíduo em lixeira própria, acompanharão e ajudarão a cumprir indicadores e ainda contribuirão com a destinação correta de recicláveis, que são coletados por uma empresa especializada e destinados à reciclagem “Durante três meses a Ecoalternativa trabalha dentro da empresa para implantar o método. Depois é feito acompanhamento por nove meses para garantir a continuidade do trabalho. Isso sem contar que a empresa está contribuindo com a sustentabilidade”, explica Severiano. Quanto maior o envolvimento da equipe e a adesão às boas práticas, maior será a redução de custos.
“Tem restaurante de 12 funcionários que gasta em média R$ 900 por mês com coleta e destinação. É um dinheiro que está sendo mal empregado e a empresa ainda está trazendo prejuízos ao meio ambiente. A gestão de resíduos é, antes de tudo, um trabalho de conscientização e mobilização, que se feito de forma assertivo, traz benefícios, sociais, econômicos e ambientais”, aponta.