Exportação de soja cresce 59,4% em Maringá

Exportação de soja cresce 59,4% em Maringá

De janeiro a agosto as exportações de soja somaram mais de US$ 1,32 bilhão em Maringá, crescimento de 59,4% em relação ao mesmo período de 2019, quando as exportações do grão totalizaram US$ 842 milhões. A soja corresponde a aproximadamente 80% das exportações do município, segundo o Instituto Mercosul.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Maringá, José Antônio Borghi, a exportação da soja tem sido mais intensa principalmente, em função do câmbio. “O real desvalorizado favorece a soja e todas as commodities agrícolas exportáveis, que são mais demandadas por outros países. Isso é bom porque, muito embora o câmbio desvalorizado dificulta e encarece a importação, o Brasil precisa vender mais do que comprar. Isso é o que vai dar o superavit para equilibrarmos as contas”, detalha.

O agronegócio foi um dos que menos sofreu os impactos econômicos causados pela pandemia. “Em um primeiro momento, a pandemia impactou algumas cadeias da produção, mas com o passar do tempo, o setor foi se adequando e o consumo dos produtos agrícolas foi aumentando”, reforça Borghi.

“O agro não parou: quem tem frango não pode parar de dar comida, quem tem vaca não pode deixar de tirar o leite e quem tem lavoura tem que plantar no mês correto e colher na hora certa. Isso fez com que o setor, mais uma vez, contribuísse para a economia do país e para o suprimento das prateleiras dos supermercados. O agronegócio conseguiu superar e ratificar que é um setor fundamental para o nosso país”, acrescenta o presidente.

O plantio da safra de soja 2020/21 começará em breve e os produtores estão otimistas, segundo Borghi. Grande parte está investindo fortemente na alta tecnologia em busca de mais produtividade. “Os preços estão favorecendo e tudo indica que permanecerão em um padrão que garantirá uma boa renda para o produtor. A expectativa do produtor é muito boa, principalmente o de grãos, da safra de verão que vamos começar a implantar agora”, finaliza.

Cocamar

Em 2020 a Cocamar Cooperativa Agroindustrial recebeu volume recorde de soja: 1,5 milhão de toneladas. A cooperativa conquistou expressivo aumento de participação de mercado em todas as regiões onde atua: Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. A previsão para as vendas de insumos em 2020 é R$ 1,7 bilhão, contra R$ 1,4 bilhão no ano passado. O faturamento deve chegar a R$ 6,2 bilhões, frente aos R$ 4,6 bilhões de 2019. Toda a produção de soja que recebe dos cooperados é processada no parque industrial, sendo transformada em óleo e farelo.